Em busca de um sentido

Lidiane A. Longo e Garcia Gonçalves


De repente, é sábado de novo...
De repente, não mais que de repente, é outubro novamente...
Eu aqui na janela sentindo a brisa primaveril,
Ouvindo uma música relaxante,
Lendo Viktor Frankl que diz:
“em nossos dias um número cada vez maior de indivíduos dispõe
de recursos para sobreviver, mas não de um sentido pelo qual
viver”.
Pergunto-me: qual o sentido para a vida?
De imediato me vem a imagem sorridente de Chico Xavier a
lembrar: o sentido da vida é ser feliz!
E logo constato que a felicidade não é algo que se conquista; é
algo que se vive!
Felicidade é um estado de espírito, um modo de vida e não algo
que se encontra fora de nós...
Encontrei o sentido da vida!

Quando a janela da alma se abriu